Pages

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Desabafo da madrugada

Esse é um daqueles textos que acabo escrevendo no Facebook e depois me incomodo de deixar lá. Não sei se dessa vez vou apagar de lá, mas vou colocae aqui porque estava desabafando, pois uns pensamentoa ruins vieram a minha cabeça.
Segue o texto, com os erros e tudo mais.
Pra quem não sabe minha tia (que é minha segunda mãe) vai pra campinas-SP fazer transplante, só que em SP tá tendo esse problema com a febre amarela e como minha tia faz quimioterapia ela não pode tomar vacina, então ela vai pra lá fazer um tratamento que deixa a imunidade dela super baixa e nem pode tomar a vacina antes para se proteger. Chega dá uma aflição aqui. Se tem uma coisa que quero é que tudo dê certo pra ela.
Sabe o que é pior? Apesar de eu estar de férias eu não tenho ido ver ela, eu realmente amo muito minha tia, mas ver ela mal ou em uma situação ruim me afeta tanto que nunca mais acompanhei ela na quimioterapia e acabei me distanciando mesmo que ela more tão perto de casa.
Só eu presenciei umas situações muito ruins que ela passou e eu nem sei explicar o quão mal fiquei por não conseguir fazer nada, por ser tão inútil.
Tem vezes que penso no fato de eu praticamente não ter utilidade nenhuma e principalmente por tantas vezes não ter muita expectativa pro futuro, enquanto a minha tia tem dois filhos deficientes pra criar, mas não pode fazer tanto por causa da doença.
Enfim, odeio quando eu não posso fazer nada ou não consigo fazer nada por alguém que é tão importante pra mim.

Bom, foi isso o que escrevi em lágrimas. Eu espero realmente que ocorra tudo bem com minha tia e que ela fique curada totalmente. Se você não me conhece ou coisa do tipo saiba que aceito muito energia positiva pra ela, se você puder torcer pra que tudo dê certo eu já fico muito grata.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Recomeço

Oi pessoas, sei que provavelmente ninguém lerá o blog, mas quando escrevemos escrevemos para alguém. Faz bastante tempo que não publico nada no blog e acredito que é hora de mudar um pouquinho, o que não quer dizer que publicarei mais assiduamente nele, mas sim que pretendo mudá-lo um pouco, começando por apagar algumas publicações.
Meu blog nunca de fato teve um foco principal, é simplesmente tão aleatório quando eu. Sei que há publicações extremamente vergonhosas que publiquei no passado, porém, acaba que as que pretendo apagar são mais por causa de direitos autorais. Crescemos e aprendemos o quanto é importante dar o crédito e como a muito tempo atrás minha pessoa não sabia fazer isso (não que eu saiba agora) e tirava tudo do google não tenho como colocar os créditos agora xP
Então, vamos lá. Avante para uma nova jornada (ou não).
<3 br="">Edit.: Após publicar recordei o nome da palavra soahasoh não era importância dos "créditos", mas sim dos "Direitos autorais", pois é, saibam que eu estava a falar sobre algo do tipo.
<3 br="">Faz anos que tenho blog e até hoje não manjo nada sobre, então perdão pelas inconveniências.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Negatividade Positiva

Faz uma eternidade que não escrevo nada aqui. Hoje de madrugada eu estava meio surtada então acabei escrevendo muito no celular, eis que colocarei aqui. Juro que queria parar de publicar coisas negativas aqui, mas não tenho sido eficiente em tal feito. Eis que o aglomerado de palavras que colocarei abaixo é bem nonsense como eu. Tem vários erros que não vou corrigir por motivo de: preguiça.

Preciso usar da negatividade para me manter com os pés no chão, pois muitas vezes minha empolgação, otimismo, positividade me faz flutuar, tirar meus pés do chão e me perder em ilusões criadas na minha própria mente.
Se eu não usar do meu pessimismo para não me frustrar muito posso acabar quebrando a cara me iludindo que tudo vai dar certo e acabar não dando. Algumas pessoas não entendem isso, mas a expectativa muitas das vezes acaba comigo, que sou ansiosa, com antecedência, então acabo por problematizar, o que não ajuda, mas as vezes me faz"sofrer" com antecedência me fazendo colocar os pés no chão e me preparar para o algo ruim que talvez esteja por vir. Isso não é legal, mas sempre acredito que não saberei lidar com a frustração de ter a minha ilusão (expectativa) quebrada brutalmente, me preparar para o pior é não estar pronta para ele, pois sempre ainda me iludirei, mas tal "preparo" me deixa mais consciente do pior e quando ele acontece a queda é menor, pois estou mais próxima do chão, então os machucados são menores. Existirão, mas não desabarei bruscamente e me quebrarei toda, ficando desolada.
Já aconteceu a anos atrás do meu otimismo ser quebrado de uma vez só e eu ficar desolada, acho que foi a primeira vez que fiquei depressiva, eu chorava praticamente todo dia e me achava um estorvo por não ter conseguido, me achei incapaz, fiquei mal pela minha família, pois acreditaram em mim, fiquei mal pelos meus professores, por todos que talvez tivesse alguma expectativa em mim. Frustração não é um sentimento legal, angústia também não. Sou lerda, mas em certo ponto da vida consegui definir tão bem tais sentimentos negativos, pois eram muito intensos, a angústia me sufocava e eu estrava frustrada comigo mesma, pois havia me mostrado incapaz de algo q acreditava ser.
Ainda bem que o mundo gira e nas voltas que ele dá algumas coisas imprevisíveis acontecem. Não costumo planejar nada, pois quando fico frustrada eu desabo, não sei lidar, o que é ridículo, pois na teoria sou adulta e deveria saber lidar com frustração, mas na prática passa longe disso. Quando planejo algo costumo ser um pouco exigente e gosto que dê certo, penso nos lados negativos, nas coisas negativas que podem acontecer, mas a vida sempre me surpreende, então evito planejar. Crianças, não sigam esse exemplo, planos são bons e os seus podem dar certo. Não sigam meu péssimo exemplo de pessimismo também, isso não ajuda muito a vida, principalmente quando envolve relacionamentos (todos), pois as pessoas acabam sendo influenciadas pelo negativismo (existe tal palavra?) e as coisas não ficam bem. Estou escrevendo essas coisas aqui depois de cagar uma amizade e me tocar de que sou um ser humano bem inseguro. Falo que caguei minha amizade já tentando me preparar para o possível termino dela, pois não sei se tenho ânimo para tentar manter até amizades (a que ponto triste cheguei), é só que "correr atrás" não é legal, principalmente porque eu me esforçaria para manter algo que talvez não tenha importância nenhuma para a outra pessoa, acabo me desgastando e me machucando de mais quando percebo que corri atrás de uma amizade que não tem valor para a outra pessoa, sou tão trouxa. Acho que a maioria das minhas amizades são unilaterais, onde eu puxo conversa e se eu não puxar ninguém lembra da minha existência e estão todos sempre tão ocupados e é tanto vácuo que acabo levando que sempre acho que estou incomodando, então só perturbo as pessoas quando Esto louca. Odeio ter pessoas importantes pra mim porque muitas vezes eu sou descartável e sem importância para elas. Me machuco tão fácil, sou tão negativa e bostona.
Desculpa o poço de negatividade povo, mas se deixarem de falar comigo ei provavelmente já estarei um pouco preparada porque percebo minha falta de importância na vida dos outros facilmente e não é como se eles fossem obrigados a me ver como alguém importante eu que sou exagerada e problemática mesmo. Tenho pensado em procurar distrações que me façam esquecer das pessoas, mas eu preciso interagir com pessoas pelo bem da minha sanidade mental, tento me convencer disso quase todo dia "vai Ryane, não é porque não te tratam bem que tens que fazer o mesmo, não és essa pessoa, seja educada, não pague com a mesma moeda, interagir com pessoas é importante".. Essas coisas, mas as vezes acaba não dando muito certo e eu me isolo, mas até que parei de me isolar tanto quanto eu costumava. Te isolar te torna alguém frágil, experiência própria. É sempre bom lembrar que coisas ruins não acontecem somente conosco, tem pessoas passando por coisas piores e precisando de ajuda, podemos nos tornar "melhores" ajudando, "melhores" no quesito de melhorar o emocional deixando meu problema de lado para ajudar o outro. Fazia tempo que eu não desabafava escrevendo. Desculpa não ter lógica, espero não ter ofendido ninguém, vou procurar psicólogo e psiquiatra, acho que preciso xP.
As vezes digo que a ignorância é uma dádiva, ver através das pessoas não é legal. Sou muito lerda e quase nunca percebo as coisas, então sempre me machuco quando consigo ver através de alguém, principalmente quando é por mensagem, porque putz, a pessoa mandou uma mensagem deixando claro educadamente que tu não tem importância na vida dela, e tu sacas, mas é claro que se tu alegar isso para a pessoa ela dirá que é coisa da tua cabeça, as vezes pode até ser porque sou paranoica, mas outras vezes não é e a pessoa só está escondendo aquilo que percebeste e que talvez nem ela tenha se dado conta que deixou explicito "sem querer", ah, o inconsciente...
Eu sou chorona e fico mal até por causa do tom de voz que falam comigo, então né, não sou uma referência de ser humano.
Fico bastante mal também pelo fato de todo mundo ser ocupado e menos eu
Acho que meu irmão tinha razão quando disse que eu parecia o Baby da família dinossauro, onde ele fala "eu sou o baby e você precisa me amar", acho que as vezes faço isso sem perceber e sou um incomodo na vida dos outros, ninguem precisa me amar, eu que preciso amar os outros e saber demonstrar isso por mais que seja vergonhoso. Gente, ces notaram que sou bem louca né? Acho que escrever talvez não seja muito saudável haha serei eu esquizofrênica e não sabia? Fica o mistério, espero não ser ;-; 

Vou salvar isso no meu blog, vai que um dia meu psicólogo precise ler para tirar conclusões sobre minha sanidade mental (ainda não tenho psicólogo tá).

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Terminei de assistir Tokyo Magnitude 8.0, no final do episódio 9 ou em algum momento do episódio 10 recebemos uma triste ligação, então assisti o último episódio com muitas lágrimas, não por causa do anime em si, mas pela perda que acabara de ter. Não verei mais aqueles cabelos branquinhos, não receberei mais frutas quando for na casa da titia nem escutarei a tv no seu volume mais alto, pelo problema de audição dele. Não saberei das estórias ou histórias dele, dos acontecimentos passados, das  coisas como eram.
Hoje a noite mesmo eu estava preocupada com um idoso no ônibus por causa da velocidade em que o ônibus estava podendo o machucar, acabei puxando o sinal pra ele para ter certeza que ele desceria na parada certa e lembrei do meu vô, tive pensamentos positivos quanto ao meu vô que estava na UTI desde ontem.
98 anos, ele queria chegar aos 100, vô você foi longe, chegou a uma idade que nunca me atrevi a sonhar ter, não cheguei a te conhecer tão bem quanto deveria, fiquei com receio de te visitar nesses dias em que sua saúde não estava muito boa, me desculpe por isso, mas não tive coragem de te ver dodói assim como não tive coragem de ver meu outro vô no leito de morte dele, vocês são lembranças boas que quero manter na minha mente.  Do meu outro vô a ultima lembrança que tive foi dele sorrindo se despedindo de mim, do senhor eu lembro a ultima vez em que fui na casa da titia e conversamos, você se esforçou em vir até a cozinha, desculpa minha memória ser ruim, eu deveria ter pelo menos uma foto com você.
Vô, obrigada por ter existido, eu estou aqui hoje porque você e sua esposa (a vó) foram os responsáveis por colocar o papai no mundo.
Vô, obrigada por ser meu avô, espero ter gravado na minha memória pelo menos seus cabelos brancos, nunca te disse isso, mas te amo.
Desculpa ser tão falha, por não ter sido assídua em visitas, você gostava delas, perdão por nunca saber o que falar, vou tratar sempre bem aos idosos. Eu queria ser menos falha, mais próxima, não tão isolada como sou, então teríamos mais memórias.
Ah, acabo de lembrar de quando você ia para a mesma igreja que eu frequentava, sempre acendia a lanterna no meu rosto desde que eu era pequena, obrigada por iluminar meu rosto, obrigada por me iluminar do seu jeito, que o papai do céu cuide bem de você, te amo.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Mais precioso que ouro

Olá, hoje venho aqui para mais um desabafo/pensamento depressivo muahahahaha. Credo, infelizmente minhas publicações são na maioria depressivas ou negativas de mais..
O tema de hoje é algo polêmico, não, não é sobre mamilos (que são realmente polêmicos), mas sim sobre nossa preciosidade chamada Água. Quantos de nós vive sem água? Nenhum, ela é tão importante que é responsável por toda a vida no planeta, pois sem água não conseguimos sobreviver, já que nosso corpo contém muita água, deem uma pesquisada, não custa nada além de tempo.
Nesse fim de semana assisti um documentário chamado Ouro Azul, nossa, como valeu a pena assistir esse documentário, pois me alertou para algumas coisas que eu já sabia, mas sabe aquelas coisas que você sabe, mas a ficha não cai? Pois é, a ficha caiu para essas coisas importantes.

Então, a publicação de hoje é mais para recomendação desse documentário do que para falar de fato da preciosidade chamada água, faz total sentido o nome do documentário "Ouro Azul". Vamos parar para refletir nos nossos gastos e preservar nossa água, que não damos valor agora enquanto ainda temos. =/

Bom crianças, respeitem os mais velhos, obedeçam seus papais e não desperdicem água, se puderem ajudem crianças, pessoas que precisam. Se sua vida parece sem valor, se você acha que não tens um sentido para viver, pense naqueles que não tem também, mas mais do que não ter sorriem sem precisar de um motivo, mesmo que não tenham água potável ou comida descente, pense nessas pessoas que lutam todo dia pela vida, a mesma vida que você acha que não vale a pena viver e as ajude.

Antes de se odiar, querer se matar, ajude quem deveria querer isso, mas acaba se esforçando tanto para viver, mesmo que não tenha nem água que não seja contaminada. Use sua vida para ajudar aqueles que tentam viver em meio a pobreza.

Gente, começou a tocar "Your guardian Angel" na minha playlist e fiquei emotiva mudando o foco da publicação oahsohsoa.


Por hoje é só, sejam felizes nesse dia, se não forem façam alguém feliz, se não conseguirem apenas sorriam para as coisas belas da vida que na cegueira dos problemas deixamos de enxergar. <3 p="">